joomla site stats
Tag: Chardonnay
 
Feuillatte, 40 anos
[21 mar 2017 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

    Delicado, de paladar cremoso, manto de bela e luminosa cor dourada. No nariz, um complexo de maçãs e pêssegos, de tostados, baunilhas e frutas cristalizadas. Essas são as marcas de uma das mais marcas mais jovens do mercado dos champanhes: a Nicolas Feuillatte, da área de Chouilly, que chega ao Brasil por esforço [ Leia mais… ]

 
Clos des Fous / Locura
[18 jun 2016 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Em tradução livre, o rótulo significa “o canto dos malucos”. Esse é o espírito de Pedro Parra, que passou a explorar áreas e terroirs inesperados – altitudes (e atitudes!) mais elevadas, latitudes mais baixas, exposição aos ventos do litoral – para rejuvenescer o vinho chileno, em atitude que batizou de “locuras”.   E Locuras é [ Leia mais… ]

 
Inova, Zelândia…
[1 mai 2016 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Zelândia, sempre Nova. E inova o sauvignon blanc e o pinot noir, o syrah e o gewurztraminer. E lembrando a camiseta que eu cobiço até hoje, parodiando o Pink Floyd: Momentary lapse of riesling. Não há lista de grandes vinhos no Novo Mundo à base de pinot noir ou sauvignon blanc que não inclua um [ Leia mais… ]

 
Pierre Moncuit
[10 ago 2015 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Para quem conhece os champanhes da casa Pierre Moncuit, uma boa colocação em degustação às cegas não é surpresa. O jeitão vencedor do seu rótulo brut já chega na cor dourada, no perlage finíssimo, na boca mineral, densa, complexa, com um leque de aromas que têm pouco de inverno mas muito de outono, das frutas [ Leia mais… ]

 
O riesling português, parte 1
[8 abr 2015 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Arrepiado Velho seria um daqueles nomes divertidíssimos de blocos cariocas. Isso, se já não fosse uma das mais celebradas vinícolas do Alentejo moderno. Não são de lá, mas chegaram após as dicas de David Booth sobre a área de Sousel, na sub-região de Portalegre. Os rieslings dão um show de frescor (em Portugal, eles dizem [ Leia mais… ]

 
Festinha para o Barnaut
[6 fev 2015 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Às vezes, o motivo da comemoração está na mesma mão do brinde e ninguém percebe. No caso da Barnaut, um champanhe leve mas com estrutura, próprio para celebrações, comemos mosca. No ano passado, eles comemoraram 140 anos de existência. Para saber um pouco mais desse rótulo, fui ao único dos compêndios que deu alguma bola [ Leia mais… ]

 
Balão sobre os vinhedos
[28 set 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Quando alguém te disser que um espumante pode nos deixar alto, pode ser que ele esteja levando a expressão ao pé da letra. Em altitudes como os mil metros de altitude, por exemplo, no momento em que se degusta um copo de Benoit Daridan, um “méthode traditionnelle” do vinhedo que sobrevávamos naquele momento, de balão, [ Leia mais… ]

 
Rossj Bass
[6 set 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

É assim mesmo, com jota, mas a pronúncia é mesmo Rossi, como em Gaja, Angelo Gaja, essa figuraça, que a gente acha que vem apresentar os vinhos, mas quer mesmo é bater um belo papo com o copo na mão. Nessa conversa, faz um palestrão sobre a região, as tradições da área do Langhe, dos [ Leia mais… ]

 
Viapiana Chardonnay
[15 ago 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Provado às cegas, sem olhar o rótulo, não resta dúvidas: é um Borgonha finíssimo, um Meursault, talvez. Certo? Errado. Trata-se de um chardonnay da região de Flores da Cunha, na Serra Gaúcha.   Que me apresentou foi o gourmet Paco Torras, titular do melhor e mais bem escrito blog do hemisfério, o Bistrô Carioca, em [ Leia mais… ]

 
Os brancos de Faivelay
[11 ago 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Ano que vem a Domaine Faively completa 190 anos cobrindo todas as áreas nobres da Borgonha, a grande maioria em propriedades próprias, mais de 80 por cento deles, de tintos festejadíssimos. Mas os brancos também têm suas relevâncias, com rótulos de denominações como Bâtard-Montrachet, Meursault, Corton-Charlemagne, Puligny-Montrachet e muito Mercurey.   E há também o [ Leia mais… ]

 
O aroma dos vinhos
[29 jul 2014 | Pedro Mello e Souza | Comentários desativados em O aroma dos vinhos ]

  Um breve olhar sobre o universo de sabores que só os vinhos e suas uvas podem fornecer aos limites do paladar do Homo vinicus Pedro Mello e Souza   Preste atenção nas fotografias daqueles que gostam de vinhos: ou o personagem está simulando um brinde ou fingindo que está provando. Mas se a foto [ Leia mais… ]

 
99 Rosas
[12 jun 2014 | Pedro Mello e Souza | Um comentário ]

No mais belo dos brindes, a conta perfeita de tão inexata: de 99, só falta um para one thousand. Gracias, chardonnay; merci viognier. Após essa pequena mas direcionada declaração, passo à observação: impressionante a elegância e o aveludado que a uva viognier confere aos vinhos, em qualquer hemisfério em que esteja, em qualquer corte que [ Leia mais… ]

 
Com que vinho eu vou, João Pedro?
[7 abr 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

João Pedro Lamonica, Alloro (da matéria Com que vinho eu vou?, publicada no Caderno ELA Gourmet, abril de 2014)   Caldinho de Feijão Espumante brut rosé Vai depender do grau de tempero, pois no caldinho de feijão existem temperos marcantes no paladar como alho. As gorduras de torresminhos e linguicinhas dão ao caldinho mais consistência [ Leia mais… ]

 
Com que vinho eu vou, Lima?
[7 abr 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

  LIMA Laguiole (da matéria Com que vinho eu vou?, publicada no Caderno ELA Gourmet, abril de 2014)   Bobó de camarão Chardonnay com madeira Dois diferenciais nesse prato: o dendê e coco, que pedem um vinho com madeira, um toque amanteigado como o do chardonnay. É um vinho que harmoniza muito bem com os [ Leia mais… ]

 
Terra de cegas
[12 fev 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Degustação às cegas no Esplanada Grill, o sommelier Robson nos traz aquele copo preto. Matamos que era branco, que era fresco, imaginamos um espanhol fino. Quase. Era um chardonnay da Comtes de Largeril, produtor do Pays d’Oc, sul (e sol) da França. Mais do que surpresa no paladar, no bolso: 69 reais. Não é o [ Leia mais… ]

 
Alexandra
[29 jan 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Foi um evento simultâneo em sete países no mundo. O Brasil foi um deles. E o Rio foi escolhido para o lançamento mundial da cuvée Alexandra, um champanhe rosé do mais alto extrato da Laurent-Perrier. Para quem já conhecia a fineza da cuvée Grand Siècle, a fineza do rosé pode não ser surpresa, mas é [ Leia mais… ]

 
O Versace dos espumantes
[7 jan 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Já iniciei essa série antes, mas, por conta dos créditos, coisa rara hoje em dia, inauguramos oficialmente o Q.M.A.E.V.F.C.B., iniciais de “Quem me apresentou esse vinho foi a Cristiana Beltrão”. É uma chancela exclusiva, a única que traz, em seu caderno de obrigações, algo que qualquer outro selo de denominação jamais terá: certificação de coisa [ Leia mais… ]

 
Os brancos do Château Musar
[12 dez 2013 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

  Conheçam a merweh e a obaideh. Não são apenas duas uvas brancas do Líbano – são dois desenvolvimentos que o Château Musar vem levando a público e para a aclamação da moda entre os críticos. Explica-se: é um corte que proporciona vinhos concentrados, originais, elegantíssimos e, melhor de tudo, ancestrais, pois é uma cultura [ Leia mais… ]

 
A gente precisa ver o luar
[2 nov 2013 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Os vinhos de chablis são próprios para qualquer estação quente, inclusive os rápidos “veranicos” do inverno brasileiro. Fresco, levemente mineral e de bela acidez, o rótulo chega em rótulos tradicionais como os de Christian Moreau.  É produzido com uvas chardonnay de vinhas de 40 anos de idade, que não passam por madeira, o que garante [ Leia mais… ]

 
Frescobaldi branco?
[20 set 2013 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Sim, branco. O enredo é simples: território de meia montanha, sem colinas, com vinhas até 700 metros de altitude, com plena mas delicada exposição solar no maior vinhedo da Toscana. Esse é o resumo da ópera Castello di Pomino, que a Marchesi Frescobaldi, através de um dos descendentes da família, Stefano Benini, trouxe para apresentar [ Leia mais… ]