joomla site stats
Tag: Vinhos italianos
 
A força da Sicília
[10 abr 2016 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

“O vinho é a poesia da terra”, dizem os versos de uma antiga trova siciliana. A ternura das palavras reflete o amor com que aquele país (as regiões italianas denominam-se paese) dedica aos seus vinhedos e às suas regiões, que, conta a história, cultivaram as primeiras uvas de qualidade que viriam, no futuro, a se [ Leia mais… ]

 
Brancaia TRE
[9 ago 2015 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Cor lindíssima do manto rubi, nariz perfumado e com frutas de todos os tipos, uma pimentinha pra condimentar. Na boca, tem estrutura mas muita delicadeza, além de uma acidez esplêndida. É uma combinação no estilo supertoscano, de sangiovese, que lhe dá frutinhas e um temperinho mineral com direito a um toque sangüíneo na boca, o [ Leia mais… ]

 
O terroir da padaria
[13 fev 2015 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Coluna de estréia de LETRAS GARRAFAIS, no caderno Rio Show, de O Globo, que reproduzo aqui a pedidos, para os amigos e leitores de outras cidades, especialmente as do Sul e de São Paulo. ATENÇÃO PARA OS PREÇOS, que são os da época da publicação da coluna.   “Ah, mas esse negócio de degustação é [ Leia mais… ]

 
Marsala, o quente da moda
[27 dez 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Matéria publicada na edição de 27 de dezembro de 2014 no Caderno ELA, de O Globo   “O marsala é um vinho que enriquece nossa mente, nosso corpo, nossa alma, exalando consistência e equilíbrio, com seus tons e suas notas que nos envolvem como em um abraço quente”. Essa pensata não é de nenhum sommelier, [ Leia mais… ]

 
Sarmassa
[17 out 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Elegância e equilíbrio. Tem um nariz quente, suave no frutão vermelho, uma boca intensa mas aveludada, como convém a um barolo nobre, com sua relação de vizinhança com o pinot noir. Pintam terras, trufas e outras delicadezas que as vinhas de 55 anos nos retornam do terreno rústico, fechado, pedregoso, de pouca areia. Talvez venha [ Leia mais… ]

 
Sole e Vento
[14 set 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Qual o resultado da união de dois terroirs diferentes? Complicado, sobretudo pelo desafio a uma lei: uva não deve viajar – quem planta e engarrafa na própria vinícola, se gaba disso e deixa claro no rótulo. Mas vejamos o que tivemos para o dia: um vinho longo e cheio, mas refrescante,  estruturado, com uma textura [ Leia mais… ]

 
Rossj Bass
[6 set 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

É assim mesmo, com jota, mas a pronúncia é mesmo Rossi, como em Gaja, Angelo Gaja, essa figuraça, que a gente acha que vem apresentar os vinhos, mas quer mesmo é bater um belo papo com o copo na mão. Nessa conversa, faz um palestrão sobre a região, as tradições da área do Langhe, dos [ Leia mais… ]

 
Vinupetra
[23 ago 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Nerello mascalese e nerello cappuccio são uvas da aventura extrema de um vinhedo e da ousadia máxima de um produtor. Os vinhedos dessa casta serão os primeiros atingidos pelas próximas lavas do Etna. Sim, a leitura é correta – não são levas, são lavas mesmo, as quentes, as que tingem a terra de um negro [ Leia mais… ]

 
Monica
[19 ago 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Argiolas não é mais um ícone da Sardenha. Mas de toda a Itália. Nos brancos, com o fresco e mineral vermentino como nos tintos, com essa uva pouco badalada, arqueológica, rara e, por tudo isso entrando da moda dos fashionistas dos vinhos. É denso, de consistência frime mas não agressiva. E com um toque seco, [ Leia mais… ]

 
Rosa chique
[7 jul 2014 | Pedro Mello e Souza | Um comentário ]

Para muitos, é o vinho rosé do momento. E romântico por vários motivos: é elegantíssimo na boca, harmoniza bem com pratos leves, como o salmão defumado; é produzido no lindíssimo Lago di Garda; e tem rosa até no nome. Mas por trás de todo esse arroubo romântico tem um trabalho sério de uma das poucas [ Leia mais… ]

 
Fides na mesa de Pio
[9 fev 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Nos últimos três anos, ele esteve no Brasil pelo menos quatro vezes. Ou três, se contarmos uma tentativa, em vôo da época que um vulcão na Islândia impediu a Europa de decolar. Mas Pio Boffa está sempre em erupção – é renitente e um dos produtores mais entusiasmados com o Brasil, onde é representado pela [ Leia mais… ]

 
O Versace dos espumantes
[7 jan 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Já iniciei essa série antes, mas, por conta dos créditos, coisa rara hoje em dia, inauguramos oficialmente o Q.M.A.E.V.F.C.B., iniciais de “Quem me apresentou esse vinho foi a Cristiana Beltrão”. É uma chancela exclusiva, a única que traz, em seu caderno de obrigações, algo que qualquer outro selo de denominação jamais terá: certificação de coisa [ Leia mais… ]

 
Vitovska 2010
[17 dez 2013 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Olha bem para a cor desse vinho com nome de olimpíada de inverno: parece um suco . Amarelo fechado, alaranjado, quase âmbar, com um turvo leve, fascinante. Na boca, mais ainda: salino, iodado, mineral de fonte, com notinhas de ervas medicinais. E denso, dramático, com evolução para a mesma laranja da cor, com cascas, geléias, [ Leia mais… ]

 
Frescobaldi branco?
[20 set 2013 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Sim, branco. O enredo é simples: território de meia montanha, sem colinas, com vinhas até 700 metros de altitude, com plena mas delicada exposição solar no maior vinhedo da Toscana. Esse é o resumo da ópera Castello di Pomino, que a Marchesi Frescobaldi, através de um dos descendentes da família, Stefano Benini, trouxe para apresentar [ Leia mais… ]

 
Passitos largos
[22 mai 2013 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

A primeira experiência foi em Noto, fechando um almoço com a marca do gênio (simples, portanto) do mestre confeiteiro Corrado Assenza. Seis meses depois, descubro na adega do Esplanada Grill. Passo longo, não na distância, mas no paladar, um passito. E de Pantelleria, no caso, o Bukkuram de Marco de Bartoli, que, pela evolução dos [ Leia mais… ]

 
Lamùri
[26 abr 2013 | Pedro Mello e Souza | 2 comentários ]

  No dialeto siciliano, Lamùri é amor. E daqueles intensos, pelo paladar e pela estrutura desse vinho da linha da Tasca d’Almerita, um dos três que a marca produz a partir da uva tinta nero d’avola, ao mesmo tempo delicada e exuberante, na altitude da sede (duplo sentido) que Regaleali proporciona no interior da Sicilia. [ Leia mais… ]

 
Carta para Sicilia
[20 mar 2012 | Pedro Mello e Souza | 2 comentários ]

    Fiano, inzolia, carricante, nero d’avola, nerello mascalese. Cinco uvas pouco conhecidas, mas que integram o corte de cinco vinhos cada vez mais famosos, medalhados e bem pontuados.   Da Planeta (uma das vinícolas da moda), à Tenuta dela Terre Nere, (que denuncia o solo vulcânico do Etna), passando por dois rótulos da Tasca [ Leia mais… ]

 
Doppio magnum
[12 fev 2012 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

  As mudanças na legislação da importação de vinhos para o Brasil envolveu, além das discutíveis normas fiscais, a liberdade das importadoras trabalharem com formatos diferenciados. Um deles é o double magnum (equivalem a 3 livros – ou 4 garrafas comuns), como os dois vinhos que o Castello di Ama está trazendo para o Brasil. [ Leia mais… ]

 
Aglianico
[26 dez 2011 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Denominação de um dos vinhos tinto potentes, tânicos e capitosos, produzido com uvas ‘aglianico’ na região de Potenza, em torno do hoje extinto vulcão Vulture. É submetido a dois estágios de envelhecimento em barril ou garrafa, após os quais passa a ser rotulado como “vecchio” (3 anos) ou “riserva” (5 anos), liberando características que valem [ Leia mais… ]

 
Basilisco 2006
[26 dez 2011 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

  Experimentei uma das 15 mil garrafas que o produtor Basilisico produziu, em 2006, do rótulo roxo de seu Agliano del Vulture. Era um dos que Hugh Johnson indicava para a denominação – e que Oz Clarke continua chancelando. E um dos detentores de prêmios como o Tre Bicchieri, do guia Gambero Rosso.   No [ Leia mais… ]