joomla site stats
Tag: Vinho Branco
 
Quinta do Pinto Branco
[17 fev 2018 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Uma das antigas histórias sobre a trajetória dos vinhos de Lisboa já apontava o rumo da qualidade do futuro vinho da Estremadura. Dizem autores como Richard Mayson, em seu livro Wines of Portugal, a respeito do sucesso daqueles vinhos em Londres,  – na época da presença das tropas dos aliados ingleses, durante a resistência de Portugal [ Leia mais… ]

 
Reflexos do riesling
[4 set 2017 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

  Tudo aí: garrafa bojudinha (bocksbeutel), riesling da Francônia, estrutura de uma catedral com a graça (alcançada) de uma flor. E o nobre rótulo Horst Sauer Escherndorfer Lump 2008, mais uma das inúmeras gentilezas do não menos nobre André Martins. Danke, mein Liebe!   Na boca, a marca seca do vinho, a nota de evolução, [ Leia mais… ]

 
Fasano e o prosecco
[15 ago 2017 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Notinhas de ervas, flores do campo, limões verdadeiros, que consumidores desinformados dizem ser “siciliano”. E uma ponta de pitanga e de outras frutinhas tropicais, que dão simpatia à bebida, divertimento na abertura da refeição. Deve ser consumido gelado – com as doçuras residuais, a temperatura torna o vinho molenga, mesmo com o baixo nivel alcoólico [ Leia mais… ]

 
Ressurreição: brun fourca
[9 out 2016 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Grandes raças em pequenos cachos. Essa uva aí, raríssima, é a “brun fourca”, que, em provençal, significa garfo moreno. Quase desaparecida, é uma das integrantes do jardim da Abbeye de la Celle, uma instituição voltada ao vinho rosé que faz exatamente isso, recuperar o garbo de antigas castas, como fariam ao ressuscitar, como bruxos, o [ Leia mais… ]

 
A força da Sicília
[10 abr 2016 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

“O vinho é a poesia da terra”, dizem os versos de uma antiga trova siciliana. A ternura das palavras reflete o amor com que aquele país (as regiões italianas denominam-se paese) dedica aos seus vinhedos e às suas regiões, que, conta a história, cultivaram as primeiras uvas de qualidade que viriam, no futuro, a se [ Leia mais… ]

 
Ladoucette
[7 jul 2015 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

When in Paris, da série “vinhos charmosos”… Uma pena um rótulo como esse chegar tão caro por aqui. Em Paris, é o vinho da moda. Está na taça dos bistrôs mais simples aos restaurantes mais sofisticados, com preços bons e aromas e frescores que justificam a parada para “un petit coup”, especialmente quando meia dúzias [ Leia mais… ]

 
Nozze d’Oro
[12 abr 2015 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

É um vinho que, de tão encantador, é romântico até no nome. Foi criado em 1985 pelo Conde Giuseppe, proprietário da vinícola, por ocasião de suas bodas de ouro (ou, em italiano, nozze d’oro). É dedicado à sua esposa Franca “com amor imenso”. Obteve 89 pontos na Wine Spectator e 90 pontos no Robert Parker. [ Leia mais… ]

 
O terroir da padaria
[13 fev 2015 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Coluna de estréia de LETRAS GARRAFAIS, no caderno Rio Show, de O Globo, que reproduzo aqui a pedidos, para os amigos e leitores de outras cidades, especialmente as do Sul e de São Paulo. ATENÇÃO PARA OS PREÇOS, que são os da época da publicação da coluna.   “Ah, mas esse negócio de degustação é [ Leia mais… ]

 
Gravner Anfora
[26 nov 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Vinho do dia, vinho de qualquer dia: Gravner Anfora. Sim, sem acento circunflexo. E, sim, feito em ânforas, à antiga, natural, com uvas ribolla – ou rebula, em solo de terras que o realismo e o imagineário não vêm mais a diferença entre o que são terras italianas ou eslovenas. É lá que Josko Gravner [ Leia mais… ]

 
Verderol
[3 nov 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Já não tenho paciência para a pensata sobre um vinho que é bom para os cariocas porque é perfeito para a beira da piscina. Como assim? Não há tantas piscinas assim que difundam um gosto por uma bebida específica para as suas margens, fora cervejas baratas, mergulhadas naqueles abomináveis geleiros da Budweiser. Ou uma caipirinha. [ Leia mais… ]

 
O frango e o chenin blanc
[1 nov 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Fica um pouco dificil pesquisar expressões sobre vinhos quando o próprio dicionário da Academia Francesa os ignora oficialmente nos seus verbetes. O Larousse ainda os registra, mas sem a profundidade que merece uma chenin blanc, descrita apenas como uma cepa do Loire que dá origem aos vinhos de Vouvray. Não se lembram nem de dizer [ Leia mais… ]

 
Sole e Vento
[14 set 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Qual o resultado da união de dois terroirs diferentes? Complicado, sobretudo pelo desafio a uma lei: uva não deve viajar – quem planta e engarrafa na própria vinícola, se gaba disso e deixa claro no rótulo. Mas vejamos o que tivemos para o dia: um vinho longo e cheio, mas refrescante,  estruturado, com uma textura [ Leia mais… ]

 
Rossj Bass
[6 set 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

É assim mesmo, com jota, mas a pronúncia é mesmo Rossi, como em Gaja, Angelo Gaja, essa figuraça, que a gente acha que vem apresentar os vinhos, mas quer mesmo é bater um belo papo com o copo na mão. Nessa conversa, faz um palestrão sobre a região, as tradições da área do Langhe, dos [ Leia mais… ]

 
Viapiana Chardonnay
[15 ago 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Provado às cegas, sem olhar o rótulo, não resta dúvidas: é um Borgonha finíssimo, um Meursault, talvez. Certo? Errado. Trata-se de um chardonnay da região de Flores da Cunha, na Serra Gaúcha.   Que me apresentou foi o gourmet Paco Torras, titular do melhor e mais bem escrito blog do hemisfério, o Bistrô Carioca, em [ Leia mais… ]

 
Os brancos de Faivelay
[11 ago 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Ano que vem a Domaine Faively completa 190 anos cobrindo todas as áreas nobres da Borgonha, a grande maioria em propriedades próprias, mais de 80 por cento deles, de tintos festejadíssimos. Mas os brancos também têm suas relevâncias, com rótulos de denominações como Bâtard-Montrachet, Meursault, Corton-Charlemagne, Puligny-Montrachet e muito Mercurey.   E há também o [ Leia mais… ]

 
Encruzado: Quinta dos Roques
[3 ago 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Pouco conhecida, recentemente badalada, a uva encruzado é uma das novas modas no panorama vinícola de Portugal. Do Dão, mais exatamente, onde essa casta branca cresce com mais graça, tanto no solo quanto no copo. É uma uva curiosa, instigante, que pode trazer rótulos que combinam itens que podem ser quase concorrentes em uma degustação, [ Leia mais… ]

 
99 Rosas
[12 jun 2014 | Pedro Mello e Souza | Um comentário ]

No mais belo dos brindes, a conta perfeita de tão inexata: de 99, só falta um para one thousand. Gracias, chardonnay; merci viognier. Após essa pequena mas direcionada declaração, passo à observação: impressionante a elegância e o aveludado que a uva viognier confere aos vinhos, em qualquer hemisfério em que esteja, em qualquer corte que [ Leia mais… ]

 
Silex
[10 jun 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Vinho de segunda. A feira, bem entendido. Silex, talvez o maior sauvignon blanc desse sistema planetário. Outros, sistemas, não sei…

 
Frescor de Varal
[24 mar 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Um dos vinhos de entrada de gama da HRM – Herdade do Monte da Ribeira, o Varal é um vinho branco de bela acidez, fresco, cítrico, doçura de frutas e nariz de ervas frescas e das flores da região de clima seco, de temperaturas mais elevadas, uma das que mais crescem na região, em conceito. [ Leia mais… ]

 
A Vidigueira, segundo HMR
[7 mar 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

A corrida pelo Alentejo foi assim mesmo: corrida. Quinze vinícolas em quatro dias, de alto a baixo da região. E se não conseguimos ir a boa parte da Vidigueira, então boa parte da Vidigueira veio a nós. Foi assim com a HRM, acrônimo nobre da Herdade do Monte da Ribeira. Ali, no bem arrumadíssimo núcleo [ Leia mais… ]

 
Nuat e o Picapoll
[21 fev 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Um barato, essa picapoll, uva branca catalã. É quase uma exclusividade da região e denominação Pla de Bages, a alguns minutos de Barcelona, rumo norte. O enologo da Abadal, Juan Ramón Mañé fez as honras. Ele comanda a vinícola Abadal, uma das poucas inscritas nessa denominação, de pouco mais de 600 hectares, o equivalente para [ Leia mais… ]

 
Mais grüner veltliner
[19 fev 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Esse é um rótulo que não está no Brasil. Não está na lista de produtores da paulistana Vinhos da Áustria, especializada nos vinhos do país. Mas integra a lista curta de produtores da uva grüner veltliner, uma exclusividade daquele país, de nuances diferentes nas flores, nas frutas, nos minerais, na estrutura. É uma uva branca, [ Leia mais… ]

 
Carta branca no Leblon
[15 fev 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Foram anos de conformismo diante do dogma: vinho não combina com cozinha oriental. Com japonesa, menos ainda. Mas cabeça de brasileiro é assim, dura como barrica americana de segundo uso, quando se apega a uma dessas máximas, que, como mostraremos, não devemos dar a mínima. O mercado dessas casas orientais no Rio viu algumas tentativas, [ Leia mais… ]

 
Viognier Les Terrasses 2012
[12 fev 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Viognier é uma das uvas da moda, um dos ícones do sul da França: é fresca mas traz cheirinhos de pêssegos e algum paladar de damascos. Tudo isso é técnico – na boca, cada um sabe de si. Mas essas pequenas doçuras e o lado mineral dos vinhos que gera abrem um bom leque de [ Leia mais… ]

 
Herdade da Ajuda Nova
[27 jan 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Vendas Novas, meio caminho entre Lisboa e Évora, o portal da vibração dos vinhos alentejanos. Na Herdade da Ajuda Nova, começam bem: são121 hectares de vinhas, mais de 80% delas reservadas às tintas, especialmente trincadeira, aragonês, castelão, alicante bouschet, syrah e a agora indefectível touriga nacional. Há ainda 12 hectares de vinhas velhas, em que [ Leia mais… ]

 
Ajuda Branco, 2012 e 2013
[27 jan 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

  Um dos vinhos da Herdade da Ajuda no caminho para o topo de gama. Aqui, temos a dupla de ataque da seleção alentejana, arinto e antão vaz, com um toque de verdelho e sustentados com 4 meses de barricas francesa e americana. Minerais, estrutura e frutas tropicais no 2013; há maciez, leveza, jasmins, oréganos, [ Leia mais… ]

 
Pêra Manca
[20 jan 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

O Pêra Manca é um daqueles vinhos estranhos, que desafiam o paladar em cada gole, em cada minuto de evolução, em cada grau de temperatura. E muda de copo pra copo. Há notas eruditas, mas vou ficar com um lado mais lúdico, com muitas lembranças de infância que nada têm com a evolução do paladar, [ Leia mais… ]

 
Casa Amarela
[16 jan 2014 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Essa joaninha vermelha não está nos rótulos da Quinta da Casa Amarela porque é fofa. É por reconhecimento. Nosso adorável inseto de pelúcia é também um valente instrumento de combate a pragas de vinhas como as do Douro, causando inclusive um curioso efeito de confusão sexual nas traças.   Lá, elas garantem não somente a [ Leia mais… ]

 
Clos de la Coulée de Serrant
[27 dez 2013 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Virou lugar comum dizer que Nicolas Joly tornou-se uma lenda entre os produtores biodinâmicos. Mas a qualidade dos vinhos que produz e a coleção de paladares, calores, texturas e sabores que esse rótulo nos traz, permite o discurso.  O toque mineral, quase xistoso, é inconfundível na região desse vinhedo, que fica em Sevinnières, no Loire. [ Leia mais… ]

 
A rosa das guardas
[25 dez 2013 | Pedro Mello e Souza | Sem comentários ]

Ok, Sophia Bergqvist não é um nome de origem portuguesa – convenhamos, na área dos vinhos do porto, poucos o são. Mas o sotaque bem lusitano da proprietária da Quinta de la Rosa mostram a altivez portucalense com que a sua família comanda a vinícola há quase um século. É bem verdade que os seus [ Leia mais… ]